ARTIGO

  • 2- Nosso repúdio à reforma trabalhista e aos parlamentares que a aprovaram


    Nosso repúdio à reforma trabalhista e aos parlamentares que a aprovaram

     

    A direção do Sindticcc reafirma o seu total repúdio à aprovação pelo Senado do PLC 38, de reforma da legislação trabalhista. Nosso sindicato tem 36 anos de história em defesa dos trabalhadores da construção civil, montagem e manutenção industrial, e ao longo desse tempo conquistou avanços consideráveis para a sua base, seja no aspecto salarial ou nos benefícios econômicos e sociais.

    Nesse contexto, o dia 11 de julho de 2017 será lembrado como uma data obscura no nosso calendário político, dia em que o Senado aprovou, por 50 votos a favor, 26 contra e uma abstenção, a proposta de reforma trabalhista que derruba vários direitos e garantias da classe laboral e abre amplos espaços para a precarização das condições de trabalho.

    O Congresso Nacional, em sua grande maioria, está vendido e submisso ao governo golpista e ilegítimo de Michel Temer. A aprovação de projetos antipopulares, que só favorecem aos donos do capital, como a terceirização ilimitada e a reforma trabalhista, além da reforma da Previdência, é prova disso.

    Porém esse retrocesso bancado e apoiado pelas elites não vai nos fazer recuar em nossa missão. A luta vai continuar para barrar o desmonte da CLT e dos direitos arduamente conquistados em décadas de lutas. A CUT, juntamente com outras centrais sindicais, sindicatos e entidades do movimento popular, tomará as ruas numa ampla mobilização contra Temer e sua quadrilha no Congresso Nacional.

    NENHUM DIREITO A MENOS. FORA TEMER. ELEIÇÕES DIRETAS JÁ!